Foto Galeria

JA slide show

Autenticação



Assembleia Municipal
Discurso de Pedro Barata, Deputado Municipal eleito pelo PSD Cartaxo, na Assembleia Municipal Comemorativa do 25 de Abril (25-04-2013) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Sr. Presidente da Assembleia Municipal
Sr. Presidente da Câmara Municipal e Srs. Vereadores
Srs. Presidentes de Junta
Senhoras e senhores deputados municipais
Srs. Representantes das forças de segurança do Concelho e demais autoridades presentes
Senhoras e senhores Jornalistas
Minhas senhoras e meus senhores

"… Os homens não queriam mais guerra... queriam ser livres e em vez de dispararem balas a sério (como nos filmes) puseram cravos nas pistolas!"

Pedro Barata - 25-04-2013 AMCtx

Esta foi a forma encontrada por uma criança para definir o 25 de Abril.

A explicação aos olhos de uma criança onde a inocência e a simplicidade desenharam uma imagem que ficará para sempre.
Em 1974, também era um jovem e recordo a festa do povo nesse ano e nos seguintes.
Recordo as manifestações genuínas de alegria e a festa que esse dia proporcionava.
Lembro-me, também, de participar na organização dos Filhos de Abril, ali em baixo, nos jardins da Câmara.
Organizámos pintura, desenho, corridas, …, uma festa verdadeiramente popular.
O 25 de Abril não pode ser esquecido, é uma mudança que deve ser lembrada.
Para mim o 25 de Abril representa não apenas uma revolução importante, uma mudança de regime, mas uma mudança de mentalidade, uma mudança nas opções, uma mudança de atitude ou o procurar alternativas a nível nacional.
O 25 de Abril foi e é uma oportunidade.
Se focarmos os aspectos pessoais:
Quantos de nós tivemos de efectuar roturas com o passado, de provocar mudanças nas opções ou de desencadear uma revolução na vida profissional.
Umas provocadas por factores externos outros por nossa opção.
O 25 de Abril deve ser todos os dias, quando constatamos que o “regime” se mantém sem soluções, quando verificamos que nos encontramos mais desiludidos com as decisões e com as opções.
É nestes momentos que devemos encontrar a alternativa, provocar uma revolução nos opções, provocar mais um “25 de Abril”.
Um “25 de Abril” que é nosso, mas que ao juntar-se a muitos outros, pode tornar-se num “25 de Abril” das causas que defendemos.
E é aqui que lembro esta casa, este concelho, esta terra que é o Cartaxo.
As autarquias, como pilares do regime democrático saído do 25 de Abril, constituídas por eleitos diretamente sufragados pelas populações e sendo o poder político com maior proximidade aos cidadãos, enfrentam crescentes responsabilidades e o desafio de passarem, gradualmente, a um patamar superior da qualidade de vida das comunidades onde se inserem.
É imperioso redefinir as prioridades na gestão da “coisa pública”, redimensionar estratégias para as próximas décadas, reequacionar o que é indispensável fazer, porque é urgente gastar melhor os recursos postos à disposição do Poder Local.
Não se pode gastar o dinheiro que não existe, fazer obras que não são estruturais e prementes para o bem dos territórios e principalmente das pessoas.
Este é um ano de eleições autárquicas, este é um ano de decisões. Este é o ano de promover uma revolução nas opções no concelho.
Um concelho que se olha mais triste, mais endividado e mais vazio de ideias.
Hoje conhecemos dois projectos que se tentam reinventar e que tentam aparentar ideais novas, mas que na verdade são ideias do passado... apresentadas após algumas cirurgias plásticas.
Com dois protagonistas, que têm 4 e 10 anos de responsabilidade no poder executivo municipal e que demonstram querer só a cadeira do poder. Querem apenas perpetuar o poder pessoal.
É nestes momentos que podemos e devemos exercer a nossa força, mostrar a paixão pela nossa terra.
E tal como a criança descrevia, podemos colocar um cravo nas armas ou nos esgotados argumentos de quem está no poder há quase 40 anos.
Bem sei que muitos vão privilegiar discussões sobre questões nacionais com o objectivo de esconder o seu exercício autárquico.
Por dificuldades argumentativas e por estratégia eleitoral vão levantar a poeira necessária para tentar tapar as dívidas ou as opções erradas que concretizaram no nosso concelho.
Outros vão inundar-nos com questões que nada estão relacionados com a nossa terra.
Mas em democracia, se há momento em que podemos e devemos exercer e mostrar a força de uma revolução, de uma renovação ou de uma mudança, é no momento de votar.
A mudança não é fácil, alterar hábitos nunca foi fácil.
Mas ter a oportunidade de provocar a mudança, de fazer a revolução na nossa terra, de fazer o “25 de Abril” no Cartaxo, depende de todos nós. É preciso coragem...

Para terminar queria dirigir-me a todos os autarcas aqui presentes, com uma frase de Winston Churchill, um dos maiores estadistas do século vinte:
“É inútil dizer “estamos a fazer o possível”. Precisamos de fazer o que é necessário.”
Nós, nesta bancada da Assembleia Municipal, estamos e vamos fazer o que é necessário.

Viva o Cartaxo
Viva Portugal

 
Eleitos do PSD na Assembleia Municipal do Cartaxo do passado dia 30 de Abril chamaram à atenção para o "fim de linha da ilusão"! PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
assembleia_municipal_045O projeto político do PS no Cartaxo faliu! A luz ao fundo do túnel chama-se resgate financeiro...

As receitas não chegam para as despesas – não se trata de um problema de circunstância, mas sim uma triste realidade estrutural.

Apesar dos sucessivos recursos aos empréstimos bancários, o endividamento não parou de crescer. Quando já não era possível alargar a capacidade de endividamento, recorreu-se às receitas extraordinárias como foi o caso da antecipação das rendas da EDP, a venda do Campo da Feira ou as  Contrapartidas da OTA... Como nunca se concretizaram estas receitas, passou-se a alienação de ativos, como aconteceu com a concessão à Cartágua das águas e saneamento. Deixou de existir investimento municipal e o pagamento a fornecedores foi sendo retardado. Entretanto, recorreu-se ao saneamento financeiro que se traduziu em 13 milhões de euros que permitiu pagar a fornecedores e libertar a dinheiro para execução de projetos cofinanciados pelo QREN. Ao longo dos últimos anos não se pensou em conter a despesa, muito menos em maximizar a receita.

O “Relatório de Gestão - 2011” com as respectivas “Demonstrações Financeiras” e o “Parecer e Certificação Legal de Contas” comprovam tudo isto.

Clique AQUI e conheça os detalhes da análise e conclusões que os eleitos do PSD na Assembleia Municipal do Cartaxo fizeram, e que justificaram o seu voto CONTRA!


 
Assembleia Municipal do Cartaxo - 28 de Dezembro de 2011 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Alguns dos documentos apresentados pelo PSD na Assembleia Municipal do Cartaxo realizada no passado dia 28 de Dezembro:

Continuar...
 
Declarações de Vasco Cunha, líder da bancada do PSD, na Assembleia Municipal do Cartaxo - 15-11-2011 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
 
PSD do Cartaxo apela à Câmara Municipal para o cumprimento de Protocolos com o Associativismo local PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

assembleia_municipal_045

Na Assembleia Municipal do Cartaxo do passado dia 28 de Junho, o Grupo Parlamentar do PSD nessa Assembleia chamou a atenção para o facto de até esta data a Câmara Municipal não ter celebrado qualquer Protocolo de colaboração com as colectividades e associações do concelho.

Tratou-se de uma moção sob forma de voto de protesto que veio a ser aprovada por maioria, apenas com 6 votos contra da bancada do PS. Conheça a seguir o conteúdo integral desta moção.

Continuar...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 7

ver cOMpOL

ver veread

ver AM

ver FREG

ver junte

 

Newsletter







April 2018
S M T W T F S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 1 2 3 4 5